Como queimar gordura Sem Dieta: "Leio Rótulos, Faço Exercício E Me Peso Todo Dia"

Como reduzir de peso Sem Dieta: "Leio Rótulos, Faço Exercício E Me Peso Todo Dia"


as páginas da web relacionadas

Quando o New York Times me contratou pra digitar a respeito de ciência e saúde 52 anos atrás, eu estava 18 quilos acima do peso. Passara os três anos anteriores lendo meu peso subir durante o tempo que saltava de uma dieta pra outra em uma tentativa fútil de diminuir os quilos que havia ganhado há pouco tempo. Nenhuma quantidade de exercício --e eu fazia muito-- podia compensar o quanto eu comia quando abandonava o último plano para perder gordura.


Eu tinha me tornado um modelo do ditado: dieta é coisa em que se entra somente para sair. Cortar carboidrato ou gordura? Qual é a melhor estratégia se o seu intuito é só desinchar? Nem ao menos jejum de dia inteiro funcionava. No momento em que chegava a hora de jantar, eu não conseguia parar até tocar no sono e, às vezes, acordava na manhã seguinte com comida semimastigada na boca.


Minha dieta resultara em um transtorno de compulsão alimentar e isto me apavorou. Claramente, algo precisava modificar. No fim de contas, recuperei o controle quando parei de fazer dieta. Decidi que, se era pra ser gorda, no mínimo eu poderia ser saudável. Fiz um plano para comer 3 refeições nutritivas e satisfatórias por dia com um anão lanchinho, o que me ajudou a superar a tentação de consumir sem parar graças a do jejum.


Para a minha extenso surpresa, um mês depois eu havia perdido quatro,cinco quilos --e comendo! Comendo comida sensacional, isto é, um monte dela. Continuei assim sendo sem problema pelo motivo de não era uma dieta. Era um hábitos de vida saudável. E continuei emagrecendo, em torno de um quilo por mês. Dois anos mais tarde, o sobrepeso sumira. Nunca mais o recuperei e nunca mais fiz dieta. Nem ao menos ainda que fiquei grávida de gêmeos; engordei apenas 16 quilos e perdi todos no momento em que meus filhos nasceram pesando 3,090 quilos qualquer um.



O superior desafio pra perder calorias, principalmente para uma pessoa como eu, viciada em comer, é o fato de que ninguém podes parar de consumir. Pelo oposto, é necessário estudar uma forma melhor --e infinito-- de encarar com os alimentos. Eu como tudo que desejo, com moderação. Em uma edição recente da revista Jama, Eve Guth, médica internista do Centro Médico para Veteranos Jesse Brown, em Chicago, essencialmente assinou embaixo da minha abordagem.


Talvez ninguém saiba melhor disso do que Angelica Divinagracia, especialista em condicionamento físico que, aos cinquenta e três anos, parece tão bem, ou mais do que quando era líder de torcida da Faculdade da Califórnia, em Los Angeles. Guth alerta para numerosas arapucas, como ser influenciado por dizeres em embalagem de "baixa gordura" ou "pouco carboidrato" ao invés ler as informações no rótulo de dica nutricional.


Ainda segundo ela, suco de frutas poderá não ter gordura, entretanto não tem poucas calorias visto que contém uma vasto quantidade de açúcar. Ela também pede mais atenção aos complementos e temperos. Eu não faço contagem de calorias, entretanto tenho um discernimento funcional do número parelho em quase tudo que ingiro. Se você precisa perder peso, peço para que baixe da web uma tabela abrangente de calorias dos alimentos comuns para ajudar a fazer substituições que cortarão quase 500 delas de sua dieta diária. Assim como é possível fazer o mesmo com uma tabela de exercícios, tendo em mente que o gasto calórico de qualquer atividade depende do vigor com que é executada e do quanto você pesa. Ela, como eu, apoia o mantra das dietas de Michael Pollan: "Ingira comida. Tu pode visualizar outras dados sobre o assunto http://www.mkhandbags2014.in.net/realmente-compensa-quitoplan/ .Não muita. Principalmente plantas". E, como eu, observa que a redução de gordura demorado e sucessivo sugere que foram adotadas modificações sustentáveis nos hábitos dietéticos e de exercícios que são capazes de se tornar quase instintivas e durar pela existência afora.



Talvez seja pelo motivo de o consumo da aveia é incentivado da dieta Dukan, e muita gente começa a low carb tendo experimentado Dukan antes. A aveia como outros grãos, não é low carb. No entanto ela não tem glúten dessa maneira se fosse pôr numa escala de grãos, ela seria uma opção menos pior do que o trigo. Entretanto como eu neste momento falei antes, o segredo está na quantidade.


Tenho um farelo de aveia que comprei pra dar aos garotos, todavia eles não gostaram. Daí estes dias coloquei meia colher de sopa num bolinho de caneca que fiz, e quebrou bastante aquela textura bem úmida de bolinho low carb e deu uma cara de bolinho de trigo. Outra coisa é que em tal grau a aveia como o trigo e as leguminosas também possui ácido fítico pela casca, o que poderá prejudicar a absorção dos nutrientes. Deste jeito aveia é zona cinza. Se você ainda quer perder gordura ela não é uma bacana opção, e se você já está em manutenção ainda desta forma tem algumas opções de carboidratos que valem muito mais a pena. E você, coloca carboidratos do bem em sua alimentação? Quais são tuas possibilidades e dicas pra não exagerar?



Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *